Como acumular milhas em um cartão corporativo? Saiba tudo aqui

Conheça tudo sobre o cartão corporativo, seu funcionamento, quais tipos existem e veja se é possível acumular milhas aéreas com eles.

O que é um cartão corporativo e saiba se ele acumula milhas

Um cartão corporativo, de maneira geral, é um recurso totalmente voltado para empresas.

Acima de tudo, é crucial para ter controle e planejar as finanças de seu negócio.

Mas, não é algo que pode ser feito com descuido, então, confira a seguir tudo sobre isso.

O que é um cartão corporativo

O que é um cartão corporativo

No dia a dia, as pessoas usam esse produto para cobrir alguns custos. Portanto, o cartão corporativo segue uma ideia um pouco parecida com essa.

Dito isso, ele é usado para cobrir os vários gastos que se relacionam com a empresa. Assim como ele pode, ou não, ter vínculo com a conta bancária da companhia.

Essa medida serve, acima de tudo, para concentrar todos os custos de um negócio. Nesse sentido, as compras são creditadas em uma mesma fatura para facilitar a gestão financeira do trabalho.

Coisas que podem ser pagas com o cartão corporativo

Na prática, estes são alguns dos itens que dá para comprar com este cartão:

  • Matéria-prima ou produtos para repor estoque;
  • Serviços terceirizados;
  • Objetos e materiais de escritório;
  • Encontros e reuniões externas com fornecedores ou clientes;
  • Custos gerados por viagens a trabalho como: alimentação, hospedagem e transporte.

Modelos de cartão corporativo existentes

Modelos de cartão corporativo existentes

O assunto, antes de tudo, é mais profundo do que parece, com dois tipos disponíveis. Ou seja, é possível optar por um destes modelos para a sua empresa: pré-pago ou pós-pago. Veja, agora, os detalhes sobre cada um deles para entender melhor como funcionam.

Cartão corporativo do tipo pré-pago (débito)

Este modelo funciona como um plástico que você pode recarregar. Antes de mais nada, a empresa define um saldo para as despesas depois de projetá-las.

O uso, dessa maneira, é feito com um valor que pode variar conforme o funcionário. Entretanto, os passos dados com o objeto devem estar de acordo com as normas da companhia. Caso seja preciso, é possível creditar mais verba para comprar mais serviços para o negócio.

Como funciona o cartão corporativo pós-pago (crédito)

Este, por sua vez, é o cartão que funciona com tudo o que você conhece. Ou seja, o colaborador faz as compras necessárias e paga no dia que a fatura vence.

Nesse cenário, há um limite de gastos que é definido pelas regras da empresa. Assim como o anterior, também há monitoramento do uso para analisar se está dentro do que a companhia estipula.

O melhor tipo de cartão corporativo para cada situação

O que é um cartão corporativo e saiba se ele acumula milhas

Em geral, não tem como dizer em definitivo qual é o melhor cartão corporativo. Afinal, há situações de uso em que cada um se sai melhor. O pós-pago, por exemplo, fica para momentos em que não tem o dinheiro disponível. Logo, dá para adiar o pagamento.

A questão do prazo é outra que vale destacar, por dispensar a necessidade de juros por um mês. Por fim, ele ajuda a deixar o fluxo de caixa mais leve, sendo este mais reduzido.

Quanto ao modelo pré-pago, a vantagem fica por ele ter menos burocracia para adquirir. Além disso, as taxas são menores e não precisa trabalhar com reembolso.

Em viagens para fora do país, ele também pode ser mais útil. Dessa maneira, facilita a conversão para a moeda estrangeira, que é feita de maneira automática.

Cartão pessoal e cartão corporativo: diferenças entre os dois

Cartão pessoal e cartão corporativo: diferenças entre os dois

Existem algumas semelhanças na prática de uso dos cartões, mas também há diferenças. Assim, a principal delas fica justo por conta das despesas que podem ser pagas.

Isso significa, então, que os gastos pessoais não devem ser pagos com o cartão corporativo. Logo, se a pessoa comprar alguma coisa que não tenha relação com a empresa, ela deve usar o seu plástico pessoal para cobrir a dívida.

Solicitar empréstimo usando o cartão

O que é um cartão corporativo e saiba se ele acumula milhas

Não chega a ser uma regra, porque depende mais do contrato feito com o banco. Porém, de modo geral, é permitido tomar empréstimo usando este tipo de cartão.

É crucial, contudo, analisar com calma cada situação para ver se vale a pena. Afinal, os plásticos têm taxas e cobranças com juros bem altos. Mas, não deixa de ser uma opção caso você precise de um empréstimo para:

  • Abrir uma empresa (deve ter CNPJ ativo para isso);
  • Despesas extras ou expansão do negócio (apesar de não ser indicado, é possível).

Para quem o uso do cartão corporativo é permitido

Para quem o uso do cartão corporativo é permitido

Não há uma norma que define quem deve ser a pessoa responsável pelo cartão de forma exata. A princípio, essa é uma ação que a própria empresa define mudando conforme o negócio.

Ainda assim, é muito comum que o recurso seja utilizado por pessoas em cargos executivos. Assim como gestores, e também por pessoas em funções de liderança dentro das companhias. Vale lembrar, mais uma vez, que a própria gestão do negócio organiza esses pontos.

A diferença entre o cartão corporativo e o cartão empresarial

A diferença entre o cartão corporativo e o cartão empresarial

Em relação a esses dois cartões, a principal diferença é na movimentação financeira. Ou seja, as empresas com um volume maior de gastos utilizam o cartão corporativo.

Os prazos com maior flexibilidade e outros benefícios tornam essa opção mais atrativa. Agora, para empresas menores, o cartão empresarial é o mais indicado por elas gastarem menos. Porém, tem mais limitações junto ao banco emissor do plástico.

Em termos práticos, no entanto, o uso não muda em muitos aspectos. Logo, a funcionalidade dos dois modelos é a mesma.

Como obter um cartão corporativo para a sua empresa

Como obter um cartão corporativo para a sua empresa

Para começar, vale dizer que não há restrições para fazer um cartão corporativo. Isso porque, negócios de qualquer tamanho podem solicitar o recurso. Entretanto, o requisito é ter uma conta PJ com vínculo ao CNPJ.

O que você deve fazer, a partir disso, é entrar em contato com um banco. Em seguida, procure saber alguns detalhes como:

  • O limite do cartão;
  • As taxas que o banco cobra;
  • E, por fim, os atributos que estão disponíveis para usar.

Detalhes que compõem a política de uso do cartão corporativo

Detalhes que compõem a política de uso do cartão corporativo

Com tudo o que já foi dito até aqui, está claro que não pode abusar. Afinal, o cartão está conectado com o setor financeiro da sua companhia.

Para evitar situações mais complicadas causadas pelo uso dessa ferramenta, é preciso uma boa política. Portanto, confira cinco das principais normas para utilizar esse recurso com responsabilidade:

  1. Não fazer saque;
  2. Definição, sobretudo, de um teto de gastos;
  3. As formas corretas de como o cartão será usado;
  4. Decisão sobre quem serão os responsáveis pelo plástico;
  5. Atos de fiscalização do uso do recurso.

1 – Não poder fazer saque

Não poder fazer saque

Um dos pontos mais importantes é a ter as despesas registradas na fatura do cartão. Nesse sentido, se o saque for permitido, não há como saber o destino do dinheiro.

O controle da ferramenta fica prejudicado se essa função estiver ativada. Portanto, fica difícil entender se o gasto foi em algo para a empresa ou não.

A dica, então, é deixar esse recurso desativado, com o uso só em ocasiões emergenciais. Dessa maneira, procure deixar essa regra de maneira bem clara aos colaboradores.

2 – Definição, sobretudo, de um teto de gastos

Definição, sobretudo, de um teto de gastos

Esse limite deve ser avisado aos funcionários com bastante antecipação. Por exemplo, há empresas que estabelecem esse teto por colaborador ou até mesmo por setor.

Algumas exceções a essa regra, no entanto, também existem nos dias atuais. Ou seja, organizações que dão um cartão corporativo ilimitado para os cargos mais altos. Por outro lado, todas essas questões devem estar explícitas nas diretrizes da companhia, seja na:

  • Política de gastos com o recurso;
  • Ou na política de reembolso de despesas da corporação.

Isso tudo em prol de uma maior transparência, com as normas e suas exceções. Por fim, a documentação deve ser pública para que todos os funcionários saibam desses tópicos.

3 – As formas corretas de como o cartão será usado

3 - As formas corretas de como o cartão será usado

Outra norma vital para definir inclui como o cartão será usado. Logo, os funcionários vão saber que devem utilizar o plástico em situações como:

  • Reuniões com fornecedores ou clientes;
  • Refeições (como almoço ou jantar) com clientes.

4 – Decisão sobre quem serão os responsáveis pelo plástico

Decisão sobre quem serão os responsáveis pelo plástico

É comum no dia a dia das companhias que apenas alguns trabalhadores tenham acesso ao cartão corporativo. Dessa forma, somente os donos dos cargos mais elevados podem usar o recurso.

Mas isso não chega a ser uma regra, apenas uma prática comum do dia a dia. Dessa maneira, se for de interesse da organização, é possível tornar o plástico acessível para outros funcionários.

Essa medida, contudo, deve ser implementada com cuidado para evitar prejuízos no setor de finanças. Assim, essa definição deve estar explícita na política de uso do cartão.

5 – Atos de fiscalização do uso do recurso

Atos de fiscalização do uso do recurso

Para preservar a saúde no setor financeiro, monitorar o uso do cartão é essencial. Nesse sentido, todos os gastos devem estar acompanhados dos documentos fiscais para poder justificar.

Na prática, a pessoa pode elaborar um relatório de prestação de contas. Ou seja, um documento que contém as notas fiscais e os recibos das despesas.

O gestor e o departamento de finanças devem estar todos cientes desses passos. Além disso, eles têm o poder de aprovar ou não o ato de pagar com o cartão corporativo. Logo, não é absurdo dizer que possuem total autonomia nesse aspecto.

Essas etapas não podem ter nenhum deslize durante a execução, já que a despesa deve condizer com:

  • O cargo do funcionário e a função que ele exerce;
  • As condições que fazem parte da política de viagens;
  • A política de reembolso que a companhia possui.

As vantagens de um cartão corporativo

As vantagens de um cartão corporativo

Chegou o momento de entender que tipos de vantagens esse cartão pode oferecer aos usuários. Desde já, você vai conhecer em detalhes cada um desses benefícios por usar o recurso:

  • Reduz a descentralização dos gastos;
  • Torna os custos de viagem a trabalho mais simples;
  • Ajuda a aprimorar o controle financeiro e o planejamento;
  • Faz da conciliação contábil algo mais fácil;
  • Facilita a rotina em vários quesitos.

Reduz a descentralização dos gastos

O que é um cartão corporativo e saiba se ele acumula milhas

Ter gastos em várias contas diferentes não é muito bom para o setor financeiro. Afinal, o caixa pode ser afetado por uma eventual desorganização nesse cenário.

O cartão corporativo, portanto, ajuda a centralizar essas despesas, sendo uma solução para esse problema. Como resultado, fica mais fácil ter controle sobre o quanto se gasta na empresa.

Outra consequência é o gestor financeiro poder regular e administrar as contas em uma mesma fatura. Não apenas isso, como o processo fica mais otimizado, sem precisar solicitar algo ao setor de compras.

Caso se utilize no formato pré-pago, os funcionários terão ainda mais autonomia. Porém, sem abusar do que as diretrizes da empresa estabelecem.

Torna os custos de viagem a trabalho mais simples

Torna os custos de viagem a trabalho mais simples

Em caso de reembolso dos gastos, tudo fica muito mais simples. Afinal, nenhuma dessas cobranças virá na conta pessoal, sendo todas mostradas na conta da companhia.

Do contrário, seria preciso que o funcionário arcasse com os custos em um primeiro momento. A partir disso, ele teria o reembolso quando terminasse a viagem de trabalho.

Isso faz com que o processo seja mais ágil já que terá uma etapa a menos. Contudo, ainda é preciso que o trabalhador preste contas à empresa do seu uso.

A obrigação da companhia, nesse caso, fica por conta de cobrir somente as despesas previstas. Ou seja, tudo o que consta na lei ou na política de uso do cartão corporativo.

Ajuda a aprimorar o controle financeiro e o planejamento

Ajuda a aprimorar o controle financeiro e o planejamento

Essa vantagem pode ser vista como uma consequência direta do primeiro tópico. A princípio, o planejamento financeiro como um todo melhora com a centralização dos gastos.

O controle, portanto, fica melhor de fazer por causa do teto que a companhia estipula. Assim como elaborar o orçamento, devido ao registro das contas que a fatura dá acesso.

Consultar esse documento é algo que pode ser feito em qualquer momento do dia. Assim, é possível ver a quantidade de investimentos de cada setor com maior precisão.

Ainda no sentido de controle financeiro, ele pode ser feito por meios virtuais. Ou seja, os gestores podem monitorar os gastos da companhia em tempo real. Logo, além de maior agilidade, conferir esses detalhes também torna-se algo mais seguro e confiável.

Faz da conciliação contábil algo mais fácil

Faz da conciliação contábil algo mais fácil

A conciliação contábil nada mais é do que uma auditoria sobre as transações da conta. A partir disso, é possível realizar uma comparação entre os valores que saíram e entraram. Como resultado, é necessário que o saldo indique um cenário positivo.

Ter as despesas centralizadas ajuda nesse processo. Afinal, os gastos não estão misturados e isso melhora a parte da contabilidade.

Facilita a rotina em vários quesitos

Facilita a rotina em vários quesitos

Fazer a aquisição de produtos e serviços é algo bem consolidado nos dias atuais. Bem como alguns processos, que estão otimizados e, há casos, em que automatizados também.

Com a chance de fazer tudo à distância, é possível fazer coisas como:

  • A aquisição de materiais e equipamentos para home office;
  • Compra de acessórios de proteção e objetos de saúde;
  • Possibilidade de contratar trabalhos remotos.

O cartão, portanto, tem um papel importante para tornar esses processos mais ágeis. Por fim, é um recurso aceito na maioria dos estabelecimentos, o que faz dele muito flexível e prático.

Saiba se o cartão corporativo acumula milhas

Saiba se o cartão corporativo acumula milhas

Um dos benefícios dos cartões de crédito é a possibilidade de acumular milhas. Pois bem, saiba que o modelo corporativo também tem essa função disponível.

Ainda assim, é preciso verificar se o plástico faz parte de um programa de recompensas. Por exemplo, esses são alguns dos bancos que oferecem esse recurso em suas variantes de cartão corporativo:

  • Bradesco e Itaú;
  • Caixa Econômica Federal e Santander;
  • E, por fim, o Banco do Brasil.

Para poder usufruir do benefício, entretanto, pode ser preciso pagar uma taxa de adesão. Agora, em relação aos pontos, os números variam entre 1 e 1,5 por cada dólar gasto. Por fim, o valor cobrado na anuidade não é muito diferente da taxa dos plásticos comuns.

Vale lembrar, que apesar da disponibilidade, o recurso tem vínculo com a empresa. Logo, o funcionário deve conferir com seus superiores se está apto a usar a bonificação a seu favor.

Sobre a quantidade de cartões que uma empresa pode possuir

Sobre a quantidade de cartões que uma empresa pode possuir

Esse tipo de limite não existe nos dias atuais para os cartões corporativos. Ou seja, a sua empresa pode ter quantos plásticos forem necessários para o negócio funcionar. O que define essa quantidade inclui fatores como:

  • O contrato que o negócio tem com o banco;
  • A dimensão que a sua companhia possui.

Na prática, por exemplo, você pode ter vários deles em faturas separadas. Todavia, há como vincular todos em uma mesma conta para centralizar todos os gastos.

Cartão corporativo é um recurso muito útil para a sua empresa

O que é um cartão corporativo e saiba se ele acumula milhas

Ao longo deste artigo foi possível entender um pouco sobre este tipo de cartão. A princípio, é um recurso que pode ajudar bastante no dia a dia de uma empresa.

Sem restrições de tamanho, qualquer negócio pode ter essa ferramenta em suas atividades. Porém, isso aumenta a necessidade de monitorar e ter ele sob cuidados.

Até porque, ele está ligado à conta da própria empresa de modo constante, influenciando no setor financeiro. Logo, não dá para abusar dos gastos e é crucial controlar as despesas.

Mesmo assim, é uma boa medida para dar independência aos seus funcionários com menos riscos. Agora, cabe ao empresário pesquisar e verificar o que cada instituição oferece de benefício.

4.5/5 - (2 votes)
Amanda Bonetto
Amanda Bonetto é jornalista há mais de 5 anos e especialista em mídias sociais e criação de conteúdo SEO. Mora em Araçatuba, interior de São Paulo. Está sempre pesquisando as tendências do mercado e especializando-se em marketing digital. Tem experiência em assessoria, redação, rádio e TV.