Mercado sofre escassez de chip para a emissão de cartões

Mercado sofre escassez de chip para a emissão de cartões

A escassez de chips semicondutores tem afetado o processo de emissão de cartões de crédito. Portanto, não é mais só as montadoras de veículos que têm sofrido no mercado com essa falta de matéria-prima, mas também os bancos, varejistas, bem como as fintechs.

Demora de até um mês na chegada de um novo cartão

Demora de até um mês na chegada de um novo cartão

A ausência dessa matéria-prima resultou na baixa do estoque de diversas emissoras de cartões de crédito. Na verdade, quase reduziu a zero, sendo que antes, elas eram capazes de suprir a demanda de novos plásticos por até três meses sem problema.

Qualquer pessoa que agora solicite essa ferramenta com função de crédito, pode ter que esperar cerca de um mês para tê-lo em sua casa.

O que, sem dúvida, gera transtornos para aqueles que desejam fazer as suas compras e pagar por serviços como Netflix, Spotify e muitos outros.

Problemas na emissão de cartões afeta as maquininhas também

As maquininhas de cartões de crédito também estão sofrendo com essa situação. Mas, o pior é que tal crise pode durar ainda por um bom tempo, a previsão dos especialistas é de cerca de dois anos.

Todos que fazem a emissão de cartões e que são credenciados com uma maquininha, vão passar por dificuldades por essa escassez global de chips.

Veja o que as principais instituições declararam sobre o assunto

Mercado sofre escassez de chip para a emissão de cartões

Alguns bancos importantes e que emitem cartões de crédito fizeram comentários a respeito disso, confira.

Bradesco

A empresa assumiu que no mês de setembro deste ano aconteceram alguns atrasos em suas entregas deste produto por conta da falta de matéria-prima.

O banco, entretanto, afirmou que tudo já está sob controle e que os cartões já estão sendo enviados dentro do prazo previsto.

Porto Seguro

A empresa admitiu que pode haver um tempo de espera na emissão de cartões de crédito por causa da falta de chips no mercado.

Ela também garantiu que junto a seus fornecedores, têm buscado maneiras de contornar essa situação o mais rápido possível.

Itaú Unibanco

Essa instituição informou que essa crise não está afetando o banco e que, aliás, a emissão dos cartões está normal. Por último, o Santander, o Banco do Brasil, bem como a Caixa não comentaram sobre a questão.

A demanda no mercado

A demanda no mercado

São várias as áreas que dependem dos chips semicondutores. No entanto, a que mais se destaca é o ramo das telecomunicações. É esse setor que possui a maior demanda.

Durante a pandemia, inclusive, aumentou-se a busca por cartões de crédito com a tecnologia contactless, ou seja, sem contato. Mas, as cadeias de suprimento se prejudicaram, o que impactou a fabricação dos semicondutores.

Amanda Bonetto
Amanda Bonetto é jornalista há mais de 5 anos e especialista em mídias sociais e criação de conteúdo SEO. Mora em Araçatuba, interior de São Paulo. Está sempre pesquisando as tendências do mercado e especializando-se em marketing digital. Tem experiência em assessoria, redação, rádio e TV.